Novidades!

Já cá não postava há algum tempo, não é? Desde Março, para ser exacto.

Primeiro, antes que perguntem: não, afinal não me casei em Abril, como estava planeado. 🙁 Duas semanas antes da data ainda pensava que seria possível, mas uma semana antes, pela razão que decerto imaginam, já se estava a ver que não iria dar — ou seja, talvez desse para me casar “no papel”, mas afinal isso é o que menos interessa, não é?

Para já estamos a apontar para Outubro como nova data, mas sinceramente parece-me muito pouco provável que seja este ano — mesmo que apareça aí uma vacina para o vírus, vai sempre demorar até ela estar devidamente disponibilizada e espalhada pelo mundo — não só em Portugal, como no sítio onde ainda esperamos ir de lua-de-mel.

Sem ser isso, a vida continua. Felizmente, sendo informático e podendo trabalhar remotamente, não tive de lidar com questões de layoffs e afins; tenho estado a trabalhar em casa desde Abril, e só voltei parcialmente ao escritório nesta semana. Se pudesse, continuava a trabalhar em casa permanentemente, mas as mentalidades portuguesas, mesmo na área em que trabalho, ainda são um bocado primitivas, tipo “as pessoas só trabalham com o chefe a olhar para elas“. Isto apesar de estarmos todos a trabalhar em casa há meses sem problemas…

Em termos financeiros, também não aconteceu nada “excitante”. Estar em casa reduziu as despesas habituais, naturalmente, e já tenho algum dinheiro (pouco mais de €2K) poupado para eventualmente amortizar o crédito, se bem que quero sempre ficar com uma parte desse valor (estou a apontar para uns 500€) para servir de fundo de emergência (para o caso de o carro ou algum electrodoméstico se avariarem, por exemplo). Entretanto, o crédito foi-se pagando automaticamente, estando já na ordem dos €24K — se não lhe fizesse nada, estaria pago em uns 6 anos, mas claro que vou fazer. Nos próximos meses, vou tentar aumentar a poupança mensal para um valor bastante maior do que tem sido habitual  (100-200€), e antes do fim do ano haverá sem dúvida (a não ser que alguma coisa catastrófica aconteça) uma amortização razoável — a primeira de várias.

De resto, tenho lido pouco sobre o assunto — blogs quase nada (sorry!), se bem que espero corrigir isso nos próximos tempos, e livros têm sido poucos. Comecei há dias a ler este: Passive Income, Aggressive Retirement, e estou a gostar — tem umas boas ideias sobre como criar fontes de rendimento passivas — e não, não são todas à volta de imobiliário, como às vezes parece ser o caso tratando-se de autores americanos 🙂 –, se bem que implicam sempre algum trabalho inicial, naturalmente (ex. escrever e publicar um livro). A ver se quando o acabar partilho aqui um resumo do que aprender com ele.

6 comentários em “Novidades!”

  1. Olá.
    Acabei de conhecer seu blog.
    Sou brasileiro e fico curioso pra conhecer um pouco mais da cultura lusitana.
    Engraçado que aqui no Brasil, os chefes pensam da mesma forma.
    Precisam “controlar” seus funcionários, olho no olho.
    Há uma grande resistência de liberar todos para home office.
    Na verdade acho que isso é global, não só do Brasil ou de Portugal.
    Um abraço, Stark.
    http://www.acumuladorcompulsivo.com

  2. Olá 🙂
    Que bom lê-lo novamente,

    Independentemente de se poder realizar o casamento, espero é que tudo corra bem e que seja feliz 🙂 o resto virá, porque espero sinceramente que esta fase que estamos a viver termine rápido, muito rápido! Andamos todos exaustos.

    Tele-trabalho… Pois, a questão é mesmo essa, apesar de tudo se fazer, há sempre aquela condicionante dos que acham que só se trabalha com o chefe nas redondezas, é global, parece-me.

    2mil juntos, já é um optimo avanço, parabéns!! Eu tive de começar do zero novamente (investi num carro, ok, ok, não é investimento, mas pronto… comprei um carro e lá se foram as poupanças), depressa se haverá de compor.

    Tudo a correr bem 🙂 e vá aparecendo por aqui. Beijinhos

    1. Olá, Marisa. Pois, isto tem andado meio parado… 🙁 Já estou casado desde Setembro; não houve cerimónia (pelas razões óbvias), mas tivemos de avançar com a parte legal, porque caso contrário perdia-se o que já se tinha pago para isso. Infelizmente, surgiram problemas de saúde do lado dela (não vou, naturalmente, entrar aqui em detalhes), mas espera-se que tudo se resolva, eventualmente.

      Quanto a créditos, no ano passado consegui fazer uma amortização de 5000€, mas desde aí não deu para fazer muito mais — houve outras despesas, naturalmente. O crédito actual está em cerca de 17000€, mas ainda espero poder “atacá-lo” outra vez, sem me limitar a ir pagando as prestações automáticas, como tenho feito (se não fizer nada, acabará em 2026, mas claro que espero livrar-me disto mais cedo).

      De resto, fiz umas brincadeiras de forma a ter uma forma de investimento automático — basicamente, uma forma de ir todos os dias à DeGiro, ver se tem dinheiro disponível, e, se sim, tentar manter uma lista de acções/ETFs equilibrada através de compras. Juntando isso a uma transferência mensal automática para lá, é uma forma de ter, finalmente, investimentos totalmente automáticos, sem qualquer intervenção humana posterior. Mas isso será assunto para um eventual post mais detalhado.

      1. Ora então por um lado Parabéns (pelo casamento e pelo baixar dos créditos) por outro lado as melhoras para a esposa, que tudo corra pelo melhor para que possam disfrutar de uma longa vida em conjunto.

Leave a Reply to Stark, O Acumulador Compulsivo Cancel reply