Evolução mensal das dívidas #9 (31 de Dezembro de 2018)

Dois posts destes seguidos, já que me atrasei bastante da última vez.

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito : 0€ (menos 60€ que no mês anterior)
  • Créditos: 29175 (menos 245€ que no mês anterior)

Total em dívida: 29175€.

Evolução desde o fim de Novembro: menos 305€.

Por um lado é bom: cartões de crédito finalmente a zero, e é para manter. 🙂 Por outro lado, os outros dois créditos têm pagamentos automáticos, pelo que, se não fizer nada do meu lado, os próximos posts destes vão ser todos do tipo “menos (aprox.) 250€ que no mês anterior” — ou seja, um bocado repetitivos.

Vou ver se “limpo” o crédito mais pequeno, que está em cerca de 1500€, nos próximos meses (juntando esse valor e pagando-o na totalidade), mas o outro, ainda superior a 27000€, vai demorar um bocado mais. Não penso usar *todo* o dinheiro que juntar para pagar esse crédito “ASAP” — quero começar também a investir alguma coisa, além de juntar um fundo para emergências e afins, coisa que neste momento ainda não tenho, e ainda há algumas renovações de carácter tecnológico que quero fazer em casa –, mas também quero ver, obviamente, se não me limito a pagá-lo de forma automática até ele acabar, já que ainda é um “peso” enorme todos os meses, além do que estou a desperdiçar devido aos juros. Uma espécie de meio termo, portanto.

Ah, e este (Dezembro de 2018) foi o 12º mapa de responsabilidades consecutivo com redução do total de dívidas — ou seja, reduzi as dívidas todos os meses de 2018. Nada mau. 🙂

Evolução mensal das dívidas #8 (30 de Novembro de 2018)

Com quase um mês de atraso (supostamente o mapa de Dezembro sai este fim de semana), mas vamos a isto:

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartão de crédito : 60€ 1 (menos 845€ que no mês anterior)
  • Créditos: 29420 (menos 235€ que no mês anterior)

Total em dívida: 29480€.

Evolução desde o fim de Outubro: menos 1080€.

Bem bom! Várias metas/”achievements”2 atingidos:

  1. desde 2016 (mesmo antes de fazer o crédito consolidado) que não devia menos de 30000€, como é o caso agora;
  2. dívidas de cartões de crédito (e os seus juros altíssimos) basicamente a zero;
  3. a maior redução mensal desde Março de 2017 (mês esse que foi bem antes de começar este blog);
  4. 11 meses consecutivos a reduzir dívidas.

Evolução mensal das dívidas #7 (31 de Outubro de 2018)

Este mês o mapa saiu “a horas”, por isso vamos a isto…

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartão de crédito1 : 905€ (menos 585€ que no mês anterior)
  • Créditos: 29655 (menos 240€ que no mês anterior)

Total em dívida: 30560€.

Evolução desde o fim de Agosto: menos 825€.

Nada mau (se bem que podia ser melhor). Mas, claro, esta informação (do último dia do mês passado) está entretanto desactualizada… vejam o post que se segue. 🙂

Evolução mensal das dívidas #6 (30 de Setembro de 2018)

Saiu mais um mapa (finalmente — este mês atrasou-se, por ter mudado de formato. Espreitem os vossos, se estiverem curiosos/as!). Vamos a isto…

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito: 1490€ (menos 310€ que no mês anterior)
  • Créditos: 29895 (menos 230€ que no mês anterior)

Total em dívida: 31385€.

Evolução desde o fim de Agosto: menos 540€.

Como já mencionei num post recente, as coisas já evoluiram desde então (30 de Setembro foi há um mês, afinal), tendo entretanto já acabado com o 2º dos 3 cartões de crédito existentes no início desta emocionante saga.  Mas isso só aparecerá no mapa que estará disponível daqui a cerca de um mês.

Daqui a pouco menos de um mês (imagino que lá para dia 25) acontecerá outra coisa: o fim da dívida do 3º cartão, e a passagem dos pagamentos do mesmo para 100%. Assim, nunca o usarei sem ter dinheiro na conta para pagar as compras online (que serão sobretudo assinaturas, livros, e um jogo ou outro), e nunca mais pagarei juros do mesmo.

Ah, e os créditos, pela primeira vez, desceram abaixo dos 30000€. 🙂

Isto demora… mas eventualmente vai ao sítio. 😉 E já se vê a meta… (bem, a primeira delas)

Evolução mensal das dívidas #5 (31 de Agosto de 2018)

Saiu outro mapa, por isso vamos ver como foi desta vez… (valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito: 1800€ (menos 545€ que no mês anterior)
  • Créditos: 30125 (menos 235€ que no mês anterior)

Total em dívida: 31925€.

Evolução desde o fim de Julho: menos 780€.

Estou semi-vagamente quase um pouco talvez orgulhoso de mim próprio. 🙂 Entre outras coisas:

  • é o  mês consecutivo em que o total das dívidas desce;
  • é também o  mês consecutivo em que cada um dos tipos de dívida, separadamente, desce;
  • é o primeiro mapa (em anos) que lista dois cartões de crédito, em vez de três, por um deles ter sido totalmente pago (e não haver qualquer intenção de o voltar a usar — tenho de ver se há algum tipo de anuidades, caso esse em que o devo cancelar). A antecipação é que o mapa de Outubro (que deve estar disponível daqui a 2 meses) só liste um. Esse continuará a ser usado (para compras na net e afins), mas passará (depois do fim de Novembro) a ser pago a 100%, nunca mais originando juros;
  • é o total de dívidas mais baixo desde pelo menos (quando comecei a registar os totais dos mapas) Janeiro de 2017. Quase dois anos.

Em resumo: nunca é tarde demais para ganhar algum (vago) juízo. 🙂

Evolução mensal das dívidas #4 (31 de Julho de 2018)

Olha, mais um mapa de responsabilidades! 🙂 Vamos lá ver… (valores ligeiramente arredondados, como sempre)

  • Cartões de crédito: 2345€ (menos 325€ que no mês anterior)
  • Créditos: 30360 (menos 230€ que no mês anterior)

Total em dívida: 32705€.

Evolução desde o fim de Junho: menos 555€.

Por um lado, estava à espera de mais progressos; mesmo tendo ido de férias (e comprado um jogo ou dois), também recebi o subsídio de Verão, e paguei mais de 1000€ nos vários cartões, na totalidade… dívidas essas que só desceram em 325€. Mas depois lembrei-me (e confirmei no extracto de Julho): tive de comprar o esquentador, para o qual usei um cartão que estava quase pago, e o esquentador propriamente dito + montagem + troca por um modelo ventilado (mais caro) ficou, tudo, em mais de 400€. Por isso, houve um ligeiro “cavalo para burro” nesse cartão (foi o único que subiu, tendo tudo o resto — os outros 2 cartões, e os 2 créditos — descido). De qualquer forma, penso, quando receber (amanhã ou na próxima semana) “limpar” totalmente esse cartão.

Por outro lado, é o  mês consecutivo em que não só o total das dívidas desce, como cada um dos tipos de dívidas, separadamente, também desce — cartões de crédito, e créditos (até ao mês passado também incluiria o carro, mas este entretanto já está pago). A redução continuada das dívidas dos cartões tem outra vantagem (além de dever cada vez menos, obviamente): cada mês pago menos de juros, o que quer dizer que cada mês há menos dinheiro “desperdiçado”, e uma percentagem maior do que pago é usada para realmente reduzir a dívida.

Mesmo com os imprevistos (esquentador, etc.), continua tudo bem encaminhado para deixar te ter dívidas nos cartões de crédito até Novembro — o que me dará mais umas boas centenas de euros todos os meses para investir e/ou pensar em “atacar” os créditos mais cedo. Já faltou mais…

Evolução mensal das dívidas #3 (30 de Junho de 2018)

Mais um mês, mais um mapa de responsabilidades de crédito, por isso vamos ver como as coisas evoluiram desde a última vez:

  • Cartões de crédito: 2670€ (menos 350€ que no mês anterior)
  • Créditos: 30590 (menos 225€ que no mês anterior)
  • Carro: 0 (menos 333€ que no mês anterior)

Total em dívida: 33260€.

Evolução dos cartões de crédito + carro: menos 683€.

Evolução total desde o fim de Maio: menos 908€.

Bem bom! 🙂 Infelizmente, tive de usar um cartão de crédito para o esquentador comprado este mês, pelo que a dívida dele voltou a aumentar, mas vou poder compensar isso com o subsídio de Verão (a receber este mês — provavelmente já amanhã). E não ter mais prestações do carro para pagar também ajuda.

Entretato, continuo de férias (até dia 6), pelo que os gastos actualmente são um bocado diferentes dos habituais. Vamos ver como é que isso afecta o balanço de Julho (disponível lá para 20 de Agosto).

Evolução mensal das dívidas #2 (31 de Maio de 2018)

Saiu este sábado o mapa de responsabilidades de crédito de 31 de Maio (sim, este “delay” de quase um mês é normal, é mesmo assim), pelo que é altura de olhar para os progressos (um pouco arredondados, como sempre) no pagamento das dívidas desde o fim de Abril:

  • Cartões de crédito: 3020€ (menos 255€ que no mês anterior)
  • Créditos: 30815 (menos 230€ que no mês anterior)
  • Carro: 333 (menos 333€ que no mês anterior)

Cartões + carro: 3353€

Total em dívida (incluindo a prestação final do carro, entretanto já paga): 34168€.

Evolução dos cartões de crédito + carro: menos 588€.

Evolução total desde o fim de Abril: menos 818€.

Chamo à atenção para estes valores já terem uns 25 dias de atraso (por estarem dependentes do mapa de responsabilidades). Por exemplo, como acima mencionado, já acabei de pagar o carro.

O objectivo mantém-se: pagar a totalidade dos cartões de crédito até (no máximo) Novembro. Penso que se conseguirá sem grandes problemas, não só por no fim de Julho (e meses seguintes) já não estar a pagar o carro (ou seja, mais 333€ que posso usar para pagar os cartões), como por ainda haver o subsídio de verão 1 (a empresa onde trabalho reparte-os por Maio, Junho e Julho, e este ano calhou-me em Julho). Vou ter férias mais ou menos daqui a um mês, mas não antevejo grandes gastos nas mesmas. Acho, portanto, que vai correr tudo bem. 🙂