Evolução mensal das dívidas #15 (30 de Junho de 2019)

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito: 75€ (mais 75€ que no mês anterior)
  • Créditos: 27670€ (menos 260€ que no mês anterior)

Total em dívida: 27745.

Evolução desde o fim de Maio: menos 185€.

Mais uma vez, é natural ocasionalmente ter usado algum saldo do cartão de crédito no último dia do mês — o importante é que é sempre tudo pago a 100%, e por isso nunca pago juros (nem gasto dinheiro que não tenho).

De qualquer forma: 18 meses seguidos a reduzir dívidas. Yay! 🙂

Gráfico:

Evolução das dívidas - Junho de 2019

Não, não há ali nenhum erro — a dívida do cartão de crédito é tão pequena, relativamente ao resto, que não se vê. 🙂

Evolução mensal das dívidas #14 (31 de Maio de 2019)

Inserir pedido de desculpas habitual pela ausência de posts. 🙂 Mais uma vez: trabalho, nenhum tempo para ler (muitas das ideias de temas para posts vêm daí), falta de tempo e ideias para escrever, etc..

Anyway…

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito: 0€ (igual ao mês anterior)
  • Créditos: 27930 (menos 255€ que no mês anterior)

Total em dívida: 27930.

Evolução desde o fim de Abril: menos 255€.

Além de serem 17 meses seguidos de redução de dívidas, é a primeira vez que as mesmas descem abaixo de 28000€. É um princípio. 🙂

Gráfico:

Evolução das dívidas - Maio de 2019

 

Evolução mensal das dívidas #13 (30 de Abril de 2019)

Desculpem a ausência de posts; o trabalho anda mesmo complicado, não só no sentido de quase não ter tempo livre, como de ter menos “cabeça” para outras coisas. A ver se mais dia menos dia resolvo esta questão.

Entretanto, e com uns dias de atraso (o mapa de responsabilidades já saiu no sábado)…

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito: 0€ (igual ao mês anterior)
  • Créditos: 28185 (menos 250€ que no mês anterior)

Total em dívida: 28185.

Evolução desde o fim de Março: menos 250€.

Mais uma vez, o costume. Cada mês a diminuição de dívidas é um pouco maior (já que, a cada prestação, uma percentagem maior da mesma é usada para reduzir efectivamente a dívida — no início de qualquer crédito, as prestações vão quase completamente para os juros), mas o arrendondamento faz com que pareça igual ao mês anterior; na prática as dívidas baixaram mais 3€ do que em Março, mas não digam a ninguém. 🙂 Gráfico:

Evolução das dívidas - Abril de 2019

Evolução mensal das dívidas #11 (28 de Fevereiro de 2019)

Blá blá blá mapa de responsabilidades blá blá. 🙂

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito: 0€ (menos 15€ que no mês anterior)
  • Créditos: 28685 (menos 245€ que no mês anterior)

Total em dívida: 28685.

Evolução desde o fim de Janeiro: menos 260€.

Já tinha avisado que estes posts iam ficar um pouco monótonos, já que os pagamentos dos créditos são fixos (e ainda estou longe de ter juntado alguma coisa para fazer “mossa” neles). Enfim, sempre vou registando o progresso.

Uma pequena novidade (que penso passar a incluir sempre nestes posts, actualizado): um gráfico da evolução das minhas dívidas desde que comecei a registar isto, em Janeiro de 2017 (quase ano e meio antes de começar o OvelhaOstra):

Evolução das dívidas - Fevereiro de 2019

Até parece que conta uma história, não é? 🙂 Para os curiosos, o blog começou a 30 de Abril de 2018, e é bom ver que desde aí me portei bem (todas as cores só diminuiram a partir dessa data, tendo duas delas entretanto desaparecido).

Evolução mensal das dívidas #10 (31 de Janeiro de 2019)

Saiu o primeiro mapa de responsabilidades de 2019. Vamos lá?

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito : 15€ (mais 15€ que no mês anterior)
  • Créditos: 28930 (menos 245€ que no mês anterior)

Total em dívida: 28945€.

Evolução desde o fim de Dezembro: menos 230€.

Sim, é normal as dívidas de cartão estarem acima de zero ocasionalmente; afinal, continuo a fazer compras com o dito, e o seu pagamento a 100% é feito uns dias antes, quando recebo — entre isso e o último dia do mês, há tempo para ter havido novos gastos. O importante é não voltar a pagar juros do mesmo, coisa que se consegue bem, actualmente. 🙂

Mais positivamente, é a primeira vez que as dívidas descem abaixo de 29K. 🙂 É também o 13º mês consecutivo de redução de dívidas.

A ver se ainda na primeira metade do ano (possivelmente com a devolução do IRS e/ou subsídio de verão) junto o necessário para pagar o resto do crédito mais pequeno (actualmente cerca de 1500€), para depois ficar só com o crédito grande (e menores pagamentos mensais), além de não pagar mais juros do referido crédito menor.