Algumas ideias para sites (versão Setembro de 2018)

Mencionei recentemente as minhas várias tentativas de aumentar os rendimentos através de sites (normalmente mais focado em ter bastantes visitas e ganhar algum dinheiro com a publicidade, e não propriamente em vender serviços e/ou produtos), por exemplo aqui e aqui, e referi também que um dos meus grandes problemas neste aspecto é o facto de as coisas que acho piada fazer serem, relativamente, pouco populares e sem possibilidades de monetização (geradores de poesia?!?) — ou isso ou já terem bastante concorrência “entrincheirada”.

Mas, for extra fun, decidi partilhar aqui algumas dessas ideias. Não acho que sejam, em geral, grandes ideias (daí não estar minimamente preocupado com a possibilidade de alguém as “roubar”), e admito sem problemas que algumas delas teriam, no máximo, meia dúzia de utilizadores/interessados por todo o mundo. Outras, por outro lado, obrigariam a contratar pessoas a tempo inteiro (incluindo advogados), o que não estou obviamente em posição de fazer. Mas, ei, talvez os estimados leitores/as achem isto interessante, ou talvez uma ligeira alteração possa um dia tornar alguma destas coisas realmente viável.

Para terminar a introdução: algumas destas ideias são recentes, outras já tive há uma década ou mais. Nenhuma está programada, mas acredito que conseguria implementar qualquer delas, em relativamente pouco tempo (leia-se menos de um mês, pelo menos com as funcionalidades principais). Por último, nem todas são propriamente originais — algumas referem-se a reimplementar coisas que já existem, apenas pelo desafio/piada da coisa.

  1. Um agregador e comparador de preços de determinado tipo de produtos, de várias lojas online, com links (de afiliados, se possível — caso contrário, sempre se pode ganhar alguma coisa com a publicidade) para as páginas de compra dos referidos produtos nas várias lojas. Basicamente, algo como um KuantoKusta, mas mais específico, mais virado para um “nicho”, de preferência 1) pouco concorrido, e 2) idealmente do meu interesse.
  2. Um “motor” web-based para criar e jogar jogos do tipo “blobbers”/”dungeon crawlers”) (ex. Bard’s Tale, Wizardry). É um género de jogos que adoro desde 1987, quando joguei o primeiro Bard’s Tale no ZX Spectrum (em cassete!), e que mesmo hoje em dia me relaxam bastante, mas (fora alguns novos lançados na 3DS e Vita, e uns remakes, tais como os Bard’s Tales acima linkados), em geral é preciso andar a “brincar” com emuladores, e acho que inventar uma forma mais genérica de não só os jogar online, usando um browser (acessível mesmo por telemóvel), como também ferramentas de criação de novos jogos deste género, seria interessante. É um género de jogos que, por não ser em tempo real, até se adaptam bem a ser jogados num browser, e poderia suportar milhares de jogadores em simultâneo (sem multi-jogador a sério, apenas o equivalente a “high scores”, e talvez um fórum ou chat) E, que eu saiba, não existe nada deste género no mundo…
  3. Um site de encontros/conhecer pessoas que realmente permitisse fazer pesquisas “de jeito”. Não uso propriamente estes sites agora, mas há uns bons anos usava os da altura, e achava incrivelmente decepcionante o facto de não haver nenhuma forma de procurar por pessoas com determinadas características, interesses, gostos, etc.; só coisas “superficiais” como idade e localização. Infelizmente, parece que estava em absoluta minoria, já que (talvez por o Facebook ter “ganho” em termos de rede social) a tendência desse tipo de sites tem sido ficarem ainda mais e mais “superficiais” — parece que, actualmente, qualquer coisa que ultrapasse “ver montes de fotos e arrastar cada uma para um lado ou para outro” já é muito complicado… Com essas tendências, não me parece que um site focado em “conhecer pessoas interessantes” em vez de apenas “combinar cafés com o maior número de gente possível, ligando só à foto”, fosse ter grande sucesso… mas quem sabe, talvez exista essa lacuna. Pelo menos ter-me-ia sido útil há uns bons anos. 🙂 Por outro lado, este é o tipo de site que mais precisaria de uma equipa permanente a mantê-lo, incluindo, mais uma vez, advogados (ainda mais com as recentes leis advindas de pânicos relacionados com a privacidade), por isso para já está fora de questão.
  4. Um gerador de “profecias” tipo Nostradamus. Não, eu não regulo bem. 🙂 Este até já está mais ou menos feito (grande parte do código veio do gerador de poesia), apenas falta “conteúdo” para gerar coisas mais variadas, em vez de começar rapidamente a repetir frases. Anyway, daqui não viria dinheiro nenhum, seria só mesmo pela piada.
  5. Um gerador de mapas de “masmorras” (nota-se muito que sou um bocado geek?).
  6. Uma versão deste blog em inglês (em que cada post neste teria um equivalente no outro). Mas acho que isso me faria escrever menos (por ter de fazer cada post em duplicado), além de que em inglês já há imensa coisa sobre independência financeira e afins. Mesmo assim, talvez um dia.

Outros sites que há anos tinha pensado fazer (e até cheguei a escrever algum código), mas que entretanto já acho que não fazem sentido, incluem:

  • Um gerador/analizador de passwords, com a ideia de as fazer difíceis de adivinhar por “força bruta”, mas relativamente fáceis de decorar. Hoje em dia, quase toda a gente usa serviços como o LastPass, e quem leva a segurança mais a sério junta a isso um autenticador como o Google Authenticator, pelo que acho que já não faz grande sentido.
  • Uma ferramenta web para “testar” sites em termos de SEO (Search Engine Optimization). Já há muita coisa, também, e acho que o meu não iria trazer nada de especial.

E para já é tudo. Opiniões? 🙂

3 comentários em “Algumas ideias para sites (versão Setembro de 2018)”

  1. A primeira e terceira opção parecem-me bem 🙂
    Um comparador de custos é algo que interessa (pelo menos a mim), mas claro, ia depender dos artigos contemplados. Se for pelo caminho dos jogos e afins a mim não me iria trazer utilidade nenhuma.
    Quanto à terceira opção, o site de encontros, à uns dias vi um filme que retratava mesmo isso, uma empresa em falência em que um “iluminado” se lembrou de criar uma aplicação que compatibiliza-se os inscritos pelos gostos pessoais e/ou até traços de personalidade. No filme rendeu dinheiro :D.

    1. Acho que vi esse filme. 🙂 Se bem que não me lembro agora do nome.
      A minha ideia para um site desses (e, note-se, não estou a pensar realmente criar um, pelas razões que menciono no post) era basicamente criar um “anti-Tinder”, se bem que com o sucesso desse último, acho que a minha alternativa realmente não teria muitos utilizadores. Nem era questão de, necessariamente, achar pessoas “super-compatíveis” ou “caras-metades” ou “o amor da nossa vida” (se bem que acredito que também conseguiria fazer uma boa aproximação disso, melhor que a “concorrência”), mas mais a possibilidade de pesquisar por pessoas com certas características que achamos interessantes (ex. gostar de ler — parece básico, mas, que eu saiba, nenhum site permite realmente tal coisa). A coisa que eu conheço mais parecida (se bem que não o uso há uns anos) é o OKCupid, mas não só esse não permite as tais pesquisas do tipo que mencionei, como o teste de compatibilidade acaba por depender do número de perguntas às quais se respondeu — ou seja, quem respondeu a 200 perguntas de escolha múltipla é visto como mais “compatível” connosco do que alguém que respondeu somente a umas 25 ou 50, em 99% dos casos.

      Enfim, vamos ver se “martelo” alguma destas coisas nos próximos meses. A que me atrai mais ainda é a 2, é das tais coisas que adorava que já existisse. 🙂

      1. Relativamente aos sites de encontros, vou ser sincera… Desconheço totalmente esse mercado. Nunca tive conta, nem interesse, por isso não posso opinar. Mas, visto de longe, parece-me uma boa ideia já que hoje em dia há um casa, descasa que nunca se viu.
        Na minha opinião, a ideia mais “brilhante” seria o comparador de preços, se bem que dependeria do conteúdo, como comentaram.

Deixar uma resposta