Evolução mensal das dívidas #4 (31 de Julho de 2018)

Olha, mais um mapa de responsabilidades! 🙂 Vamos lá ver… (valores ligeiramente arredondados, como sempre)

  • Cartões de crédito: 2345€ (menos 325€ que no mês anterior)
  • Créditos: 30360 (menos 230€ que no mês anterior)

Total em dívida: 32705€.

Evolução desde o fim de Junho: menos 555€.

Por um lado, estava à espera de mais progressos; mesmo tendo ido de férias (e comprado um jogo ou dois), também recebi o subsídio de Verão, e paguei mais de 1000€ nos vários cartões, na totalidade… dívidas essas que só desceram em 325€. Mas depois lembrei-me (e confirmei no extracto de Julho): tive de comprar o esquentador, para o qual usei um cartão que estava quase pago, e o esquentador propriamente dito + montagem + troca por um modelo ventilado (mais caro) ficou, tudo, em mais de 400€. Por isso, houve um ligeiro “cavalo para burro” nesse cartão (foi o único que subiu, tendo tudo o resto — os outros 2 cartões, e os 2 créditos — descido). De qualquer forma, penso, quando receber (amanhã ou na próxima semana) “limpar” totalmente esse cartão.

Por outro lado, é o  mês consecutivo em que não só o total das dívidas desce, como cada um dos tipos de dívidas, separadamente, também desce — cartões de crédito, e créditos (até ao mês passado também incluiria o carro, mas este entretanto já está pago). A redução continuada das dívidas dos cartões tem outra vantagem (além de dever cada vez menos, obviamente): cada mês pago menos de juros, o que quer dizer que cada mês há menos dinheiro “desperdiçado”, e uma percentagem maior do que pago é usada para realmente reduzir a dívida.

Mesmo com os imprevistos (esquentador, etc.), continua tudo bem encaminhado para deixar te ter dívidas nos cartões de crédito até Novembro — o que me dará mais umas boas centenas de euros todos os meses para investir e/ou pensar em “atacar” os créditos mais cedo. Já faltou mais…

4 comentários em “Evolução mensal das dívidas #4 (31 de Julho de 2018)”

  1. É um excelente progresso. Peço desculpa se escreveu sobre isso (eu li só os casos fictícios) ou se não deseja fazê-lo, mas está a utilizar algum método para o pagamento dos cartões?

    1. Obrigado, tanto pela preocupação como pelo elogio implícito. 🙂 Tenho andado mais focado noutras coisas (vou tentar escrever hoje sobre isso, depois do post dos gastos da semana passada, que também está atrasado), mas realmente tenho de ver se volto a escrever aqui com regularidade — até porque me faz bem, além de potencialmente ser útil e/ou interessante para outras pessoas.

Deixar uma resposta