Evolução mensal das dívidas #16 (31 de Julho de 2019)

Era para ter sido ontem, mas afinal é hoje. 🙂

(valores ligeiramente arredondados, como sempre.)

  • Cartões de crédito: 0€ (menos 75€ que no mês anterior)
  • Créditos: 27410€ (menos 260€ que no mês anterior)

Total em dívida: 27410.

Evolução desde o fim de Junho: menos 335€.

O costume, mais uma vez. O próximo deve ser semelhante, mesmo que entretanto já tenha despachado o crédito “pequeno”, já que os mapas de responsabilidades saem uns 20 dias depois da data a que se referem (neste caso, por exemplo, saiu no sábado passado). A ver se o seguinte tem uma diferença maior. 🙂

Gráfico:

Evolução das dívidas - Julho de 2019

3 comentários em “Evolução mensal das dívidas #16 (31 de Julho de 2019)”

  1. Boa tarde novamente,

    Hoje parei para olhar o teu gráfico com mais pormenor… Falámos noutra publicação dos meus 13 meses para juntar os primeiros 5mil e disseste que também, face aos encargos e responsabilidade que tens, não consegues ir muito alem desse esforço 385€/mês. Acredito e compreendo perfeitamente, mas….

    Olhar a este gráfico num intervalo de exatos 2,5 anos é fantástico, cartões de crédito com divida acima de 5mil e carro totalmente pagos, créditos a diminuir, notasse perfeitamente empenho 🙂 muitos parabéns, ainda não havia parado assim com tanto tempo para ver bem esta evolução. Bom trabalho 🙂 e grande exemplo.

    Em Setembro, esperamos só a barra laranja 🙂

    Cumprimentos

    1. Obrigado pelo encorajamento. 🙂

      Quanto ao gráfico, acabei de ver que, desde o “pior” momento (Dezembro de 2017, quando tinha acabado de mudar de carro com dinheiro emprestado da família, além de ainda ter uns 3700€ de dívidas de cartões de crédito) até ao fim de Julho deste ano (19 meses, no total), desci as dívidas, em média, em uns 520€/mês, o que não é nada mau — sobretudo porque isso não quer dizer que paguei 520€/mês, quer dizer que as dívidas desceram isso. O que paguei, infelizmente, foi bastante mais, por ir também para pagar juros.

      Mas conseguiu-se, e eu sei que até daria para fazer muito melhor — ainda continuo a gastar mais dinheiro em jogos, comics, livros, etc. do que devia. E isto com várias despesas ocasionais nesses últimos 19 meses: um colchão novo, uns óculos de ver (os meus primeiros — é a idade), férias e fins de semana fora ocasionais (a maioria em casas de familiares, felizmente), um arranjo do carro, uma televisão nova, um telemóvel novo (o anterior, já de 2016, avariou), uma prenda para o casamento do meu primo…

      Mesmo assim, sei que fui um bocado “preguiçoso”, e há muito para melhorar. Vou mesmo ver se corto mais no entretenimento, até porque tenho ainda imensa coisa já comprada por explorar. Tenho também de ver se aumento os rendimentos de alguma forma, como passo a vida a dizer. 🙂

      1. Sério, parabéns, num espaço de tempo tão curto a evolução é realmente visível e deves agarrar-te a isso para por nos zeros essas contas (vai levar tempo, vai, mas estás num optimo caminho).

        Não acho que tenhas necessariamente de te privar de todo o entretinimento que estejas habituado, é o teu escape e equilíbrio, a descer na divida num valor de 520€/mês? algo tem de te livrar desse estofo. Aumentar os rendimentos ou tentar, sim já concordo 🙂

Deixar uma resposta