Balanço de 2021

Desde 1 de Janeiro de 2021, muito resumidamente:

  • a vida continua (o que é sempre bom 🙂 );
  • estou mais ou menos a meio de poder fazer a 2ª amortização de crédito (deve ser lá para o meio de 2022);
  • não houve amortizações do referido crédito em 2021. Com os pagamentos normais automáticos, este desceu de cerca de 17800€ para aproximadamente 15500€;
  • não tenho valores exactos, já que só comecei (como consequência da automatização de investimentos) a recolher históricos disto numa base de dados perto do início de Novembro (portanto, há pouco menos de 2 meses), mas penso que os meus investimentos aumentaram, desde o início do ano, para aí uns 1800€ (bolsa) e uns 1000€ (criptomoedas), além de ter neste momento para aí uns 1700€ de poupanças;
  • a DEGIRO ainda não emitiu o relatório de 2021, por isso não tenho uma forma fácil de ver os dividendos recebidos no ano em questão; quando tiver, actualizo aqui. Em 2020 recebi 23€;
  • comprei um PC novo (portátil de jogos (e não só)) e uma Nintendo Switch; fora isso (e os habituais livros, jogos, etc.) não houve grandes gastos em entretenimento. OK, esses não foram insignificantes 🙂 , mas foi tudo pago a pronto, e não fez mais do que atrasar a amortização uns meses;
  • “inventei” várias ferramentas para uso próprio: os já referidos investimentos automáticos na DEGIRO, investimentos automáticos de criptomoedas (posts futuros?), uma dashboard (web-based) de investimentos e poupanças bastante decente (ainda com muita possibilidade de evolução, claro, mas já cumpre perfeitamente os objectivos iniciais), e… já viram a nova secção “Progresso“, no blog, na barra lateral, logo abaixo da caixa de pesquisa (acedendo por telemóvel só deve aparecer depois dos posts — vê-se melhor acedendo num PC ou Mac)? 😉 Inspirei-me em algo parecido no blog Investimentos Com Valor, mas, além de estar a medir coisas diferentes (por a minha situação e objectivos também serem diferentes, naturalmente), aqui é quase tudo (excepto a poupança e o crédito, que são actualizados manualmente uma vez por mês1) actualizado automaticamente (de 4 em 4 horas), indo buscar os dados à BD. Mais uma coisa, talvez, para detalhar num post futuro; 🙂
  • li vários livros de finanças pessoais e afins sobre os quais quero escrever aqui; a ver se o faço em Janeiro;
  • cheguei (só este mês) a uma conclusão sobre mim próprio e uma atitude auto-destrutiva (e até auto-cruel) que já tenho há muitos anos, e que comecei nas últimas semanas (com sucesso, para já) a tentar mudar. Mas isto não é (para já?) um blog de desenvolvimento pessoal, por isso não vou entrar em detalhes por agora. 🙂

E para já é tudo… vamos ver se daqui a um ano terei progressos mais entusiasmantes para partilhar. 🙂 E, já agora, Bom Ano a todos/as! 🙂

  1. o que não é um problema, já que também só mudam uma vez por mês

3 comentários em “Balanço de 2021”

  1. Olá OvelhaOstra antes demais um bom ano.

    Fizeste grandes coisas em 2021. Muita força para 2022.Pessoalmente gosto imenso da ideia da amortização do crédito. Espero que consiga acabar rápido com ele.
    Tens alguma data como objetivo?

    Cá estaremos para acompanhar a evolução.

    Bons investimentos com Valor.

    1. Olá, Investimentos. 🙂 Obrigado!

      Ainda não tenho nenhuma data concreta, porque depende de muita coisa (por exemplo, conseguir ser aumentado — nem que seja mudando de trabalho — durante este ano). Mas a ideia é amortizar uns 5000€ logo que os junte (bem, talvez quando juntar 6000€, para ter sempre algum fundo de emergência), reduzindo assim o crédito para (na altura) uns 8000€, e a prestação em uns 100€. Depois vou juntar mais por mês, até fazer o resto do valor em dívida (que também vai diminuindo, com os pagamentos automáticos) — tendo um valor (poupança) a subir e outro (crédito) a descer, é esperar que se encontrem, e aí será a uma velocidade decente: para aí uns 500€ por mês, idealmente mais.

      Juntando a isso um subsídio aqui e um IRS ali, talvez lá para o fim de 2023 esteja livre disso… ou até mais cedo, se for aumentado, ou inventar alguma coisa que dê dinheiro. 🙂 Isto assume, por outro lado, que não há despesas imprevistas, que teriam de vir do que estou a juntar para a amortização (a barra do meio, na secção “Progresso”).

Responder