Melhorias financeiras desde a criação do blog (e não só)

Este post está escrito de uma forma mais informal, já que começou por ser uma lista somente para consumo próprio. Essa lista foi também iniciada antes de alguns dos últimos posts, pelo que terá uma correcção ou duas — que, pela piada da coisa, decidi deixar ficar. E, por último, o título do post engana um pouco, já que a primeira metade dele é sobre coisas que já fazia antes de começar este blog. Mas, vamos lá…

Já fazia (antes do blog):

  • nada de lanches (em casa ou fora)
  • nada de pequenos-almoços (excepto um café com leite, em casa)
  • nada de idas ao café
    (nada disto foi por razões financeiras, já agora — são mesmo hábitos que adquiri — ou, melhor dizendo, que deixei — com a idade.)
  • evito conduzir (sobretudo em cidades, filas, etc.)
  • já não saio à noite há anos (até devia fazê-lo uma vez ou outra, acho)
  • não fumo, nem consumo… coisas menos legais (bebo álcool, porém)
  • em termos de supermercados: compro sobretudo produtos brancos
  • bebo, e sempre beberei (excepto em certos sítios estranhos, tipo Alentejo, onde ela tende a saber mal) água da torneira
  • não deixo (sempre que me lembro, pelo menos — às vezes ainda escapa alguma coisa) luzes acesas, torneiras abertas, etc. mais do que o necessário (antes era comum deixar uma luz acessa “porque daqui a uns minutos volto”)
  • compro e bebo café para máquina de balão (em vez de cápsulas). Às vezes, por preguiça, até recorro ao café solúvel (que é ainda mais barato, mas acho que só é “bebível” com leite e afins — porém, serve bem para o café (com leite) da manhã)
  • cancelei várias assinaturas: wall street journal, financial times, humble bundle, big fish games, várias revistas (de videojogos, história, etc.)
  • quase nunca compro roupa; em geral só substituo coisas que se estraguem (por acaso até precisava de comprar alguma; já só tenho coisas com vários anos)
  • empregada: não é regular, e só a chamo muito raramente (frequentemente menos que uma vez por mês). Não, não é viável cancelar, eu sou mesmo muito mau em “lidas da casa”, se bem que sou razoável a manter as coisas vagamente aceitáveis por bastante tempo
  • não compro “brinquedos” novos (PCs, tablets, telemóveis, consolas, etc.) há vários anos
  • centros comerciais, e lojas em geral, são de evitar, já que só há três resultados possíveis: ou 1) saio de lá sem vontade de comprar nada, o que significa que foi completamente aborrecido; ou 2) saio de lá com vontade de comprar uma ou mais coisas, mas resisto, e por isso saio frustrado; ou 3) cedo à tentação e gasto dinheiro que não era suposto gastar, em algo de que não preciso (se só comprei por ver na loja, é porque vivia bem sem isso). Todos esses resultados são negativos.

Comecei com o blog:

  • nada de jogos fora do “plano” (Tempest 4000, expansão do Darkest Dungeon, conta VIP no MPQcortei este último, também)
  • não compro mais de um ebook por mês (e actualmente só sobre finanças pessoais, self-improvement, etc.)
  • não compro audiobooks fora da assinatura do Audible (há imensos podcasts grátis, pá! sobre tudo!), e limito esses também aos géneros mencionados no ponto anterior, por enquanto
  • tudo muito mais controlado em termos de comics (só mantenho uma ou outra assinatura), apps (nenhuma compra há um bom tempo, nem há planos para mais no futuro próximo), etc.
  • parei de investir no ETFmatic (primeiro acabar com as dívidas, depois logo se vê)
  • mandei vender os investimentos no ETFmatic (idem) para pagar mais dos cartões de crédito
  • cancelei mais umas assinaturas

A pensar para o futuro (isto é muito por alto, para já):

  • ir a pé para o trabalho mais uma vez ou outra? É melhor esperar que a época das alergias acabe…
  • no restaurante habitual ao pé do trabalho, passar a comer, pelo menos ocasionalmente, “só o prato”, sem bebida, sobremesa ou café? (bom para a saúde, também…)
  • comer carne menos vezes? substituir pelo quê? feijão? (hamburgers de soja e outros substitutos de carne são, em geral, mais caros… a ideia aqui é reduzir gastos sem prejudicar a saúde, não é tornar-me vegan)
  • passar a assinatura do office 365 de mensal para anual (20€ a menos, por ano)?
  • ver que outras assinaturas daria para cancelar? Já tratei de um bom número…
  • tentar reduzir os serviços de telecomunicações contratados (cancelar serviços tipo TV Cine, quando praticamente só vejo Netflix? Baixar a velocidade da internet?)

10 comentários em “Melhorias financeiras desde a criação do blog (e não só)”

  1. Segue uma pequena ajuda da minha parte

    Eu nunca paguei pelos produtos da Microsoft e só uso versões completas e originais.

    ———–

    Carne: já procurou nos Continentes, por exemplo, pelos produtos com etiqueta cor de rosa? (aproximação do prazo de validade)

    A carne nestes casos pode custar até 50% menos e se for para congelar ou para consumo imediato, não há qualquer tipo de problema. Por exemplo, no Continente da minha localidade, quase todos os dias encontro embalagens de carne com a etiqueta cor de rosa, com descontos até 50% de desconto

    —-

    Jornais grátis

    ——

    Audiobooks

    O Youtube está repleto de “vídeos” com audiobooks

    Pesquise, por exemplo, “rich dad poor dad audiobook” … encontrará vários à escolha com horas “de leitura”, por exemplo

    Basta pesquisar pelo titulo do livro e encontrá desde leituras completas dos livros até aos resumos, resumos dos resumos e comentários / reviews sobre os livros.

    Espero ter ajudado a poupar uns euritos…

    1. Olá, Miguel. Obrigado pelas sugestões, mas tive de editar o comentário para tirar os links, porque 1) eu não pirateio nada, ponto (e, acredita, saberia bem como o fazer, trabalho como informático há mais de 25 anos), e 2) não posso mesmo ter qualquer tipo de legalidade ambígua aqui no blog (mesmo que apenas links para explicações sobre como arranjar software ou jornais sem pagar).

      Eu sou estranho (sobretudo para um português — temos uma cultura em que toda a gente não vê nada de errado em “sacar as coisas na net”), bem sei, mas para mim ou compro as coisas, ou mais vale não as ter. E, para poupar, prefiro treinar o “músculo” da frugalidade do que fazer coisas que considero erradas e que não gostaria que me fizessem a mim. Vou chegar à independência financeira de forma legal e ética (a segunda parte é a mais importante, para mim), ou então não chego.

      Se te incomodar a ideia de ter o comentário editado (com os links removidos), diz (podes usar a opção “Contacto”, em cima, ou então responder aqui), e eu apago-o.

      De qualquer forma, mais uma vez, obrigado pela intenção de ajudar. A parte da carne tenho de ver (se bem que em geral encomendo tudo online, não sei se terei essa opção), e os audiobooks no YouTube podem ser úteis a outros. 🙂

  2. Já ouviu falar do método bola de neve, criado por Dave Ramsey, para acabar com as dívidas?
    É um método muito usado por americanos e brasileiros e, segundo eles, com excelentes resultados.
    O conhecimento e a partilha de experiências são muito enriquecedoras e ajudam imenso. Quando criei o meu blogue isso ajudou-me a sair da minha zona de conforto, a aprender mais sobre o assunto, a experimentar, a partilhar… E uso ajudou-me imenso!!
    Boas poupanças!! 🙂

  3. Em relação às licenças do office, há muitas à venda no Ebay, por preços bastante baixos (não só do office, mas também do windows e outro tipo de software).
    Isto não é pirataria, de todo, embora reconheça que está naquela área cinzenta das licenças OEM e se estas podem ou não ser revendidas. Se entenderes apagar o comentário, compreendo perfeitamente.
    Abraço
    Ricardo

    1. Eu realmente não me sinto confortável com isso, prefiro pagar (não é, acho, nada do outro mundo). Não só pela questão ética, mas também porque, como dizes, as licenças supostamente não são transmissíveis, por isso se o fabricante me quisesse cancelá-la, não teria forma nenhuma de apelar. Mas obrigado, de qualquer forma.

      Como o comentário não inclui nada específico (tipo links ou instruções), posso deixá-lo. 🙂

  4. Outro comentário: o ETFmatic é um excelente conceito, por permitir uma tremenda flexibilidade na criação de um portfolio personalizado mas, quando olhei para aquilo em 2016, os valores não eram segregados, o que me fez colocar imediatamente a ideia de parte. Não sei se ainda é assim, contudo.

    Embora seja autorizado pela FSA e tenha algum nível de protecção, o facto de não estar segregado comporta riscos muito mais elevados em caso de falência ou fraude.

    Uma alternativa, menos fléxivel é certo, será usar uma corretora como a DeGiro que permite negociar uma lista razoável de ETFs, gratuitamente, uma vez por mês (o que para uma portfolio de longo prazo, com reforços e rebalanceamentos, é suficiente).

    1. Relativamente ao ETFmatic, quando dizes que os valores não eram segregados, referes-te a isto (tirado daqui)?

      56. Client Assets are also segregated in special bank or custody accounts, which are designated for the exclusive benefit of our clients. By properly segregating the customer’s assets, if no money or stock is borrowed and no futures positions are held by the customer, then the customer’s assets are available to be returned to the customer in the event of a default.

      Se é isso, então já mudaram desde então.

      De qualquer forma, neste momento já não tenho lá nada; como disse neste post, primeiro há que pagar as dívidas (pelo menos as que tenham juros superiores ao que poderia esperar razoavelmente dos investimentos, o que, como não tenho crédito habitação, são todas). Já tinha feito o mesmo para as brincadeiras que tinha feito na DeGiro há uns anos. Mas penso voltar a usar ambos os serviços quando as dívidas estiverem pagas (o que, se não aumentar os rendimentos, ainda demorará uns 4 ou 5 anos… ouch).

      Obrigado mais uma vez; comentários deste tipo são úteis a todos. 🙂

  5. Hummmm…. agora já não sei o que dizer. Eles nesse ponto referem uma custody account que, pode definição, é segregada. Se for assim, óptimo. Isso e o fundo de compensação ao investidor inglês no valor de 50K libras sempre dá algum conforto.

    As minhas reservas na altura foi por algo que ainda têm hoje na página inicial “Client Money is held at Barclays and all Client Assets are held by Saxo Bank in a segregated account”. É que o Saxo Bank é conhecido por ter contas bulk ou jumbo, sem segregação. Assim que vi isto nem fui ler mais nada nas condições.

    Enfim, fica o alerta para quem ler. Convém clarificar esse ponto 56 com o que têm na página inicial.

    Ouch, 5 anos é bastante, tanto mais que são créditos pessoais com taxas, presumivelmente, altas. Não consegues consolidar isso num único crédito, com taxa mais baixa e menos juros mensais, revertendo mais para amortização ?
    Ou pedir emprestado a alguém, pagando uma taxa de juro que, ainda assim, seja inferior e melhor para o credor do que meter o dinheiro num depósito a prazo ?

    1. Isto já é (excepto uns 3000€ em cartões) um crédito consolidado… 🙁

      Enfim, tudo se resolve. Pelo menos já sei que, se não houver nenhuma emergência (problema de saúde, etc.), vou sempre, cada mês, dever menos do que devia no anterior. Parece banal, mas não foi o caso nos meus 25 anos de carreira anteriores…

      E claro que vou aumentar os rendimentos. É só ter alguma ideia brilhante e implementá-la. 🙂

Deixar uma resposta